WordPress – O Guia completo

O que é o WordPress? O WordPress é uma ferramenta bem famosa, da qual você provavelmente ouviu falar. Essa plataforma de criação de sites e blogs, é uma das mais usadas no mundo, por conta de sua versatilidade e facilidade de seu uso. Os desenvolvedores da página conseguem, através de um painel controlar todos os recursos que essa solução tem para oferecer. Porém, o que muita gente não sabe é que, na verdade existem duas versões do WordPress. O primeiro, e o mais famoso, é o wordpress.com. Este, é o mais usado para criar blogs gratuitos. O processo de desenvolvimento é extremamente simples, não levando mais do que alguns cliques. É um bom lugar para começar, e fazer um site teste, para quem quer apenas conhecer o básico da ferramenta, sua interface e algumas das funcionalidades primordiais. A outra opção é o wordpress.org. Esta sim, é a plataforma de criação de sites mais complexa, com mais funcionalidades. O usuário baixa os arquivos e os instala no computador, o que permite uma customização muito maior, porém, dá um pouco mais de trabalho. É uma maneira mais “profissional” de usar a plataforma, já que você irá ter o seu próprio domínio e servidor, além de poder configurá-lo para o seu objetivo. Seja uma página tradicional, um ambiente para vendas online, e inúmeras outras.

Como começar a usar o WordPress?

Agora que já ficou um pouco mais claro o que é essa ferramenta, é importante entender como começar a usá-la. O foco irá ser no “.org”, já que é mais complexo, permite uma customização maior e é mais recomendado para usos mais profissionais. Porém, como dito acima, é uma ótima ideia criar um site na opção “.com”. Apenas para conhecer o mais básico da interface e das funcionalidades.

1 – O domínio e a hospedagem

O site feito no WordPress “.org” é um pouco mais profissional, por isso, você irá precisar ter o seu próprio domínio e sua hospedagem. O domínio é o nome que é usado para localizar e identificar os computadores na internet. Já o servidor, é o local que armazena as informações do site e o disponibiliza na rede. Antes de criar o site, você irá precisar estabelecer ambos. Certos serviços de hospedagem já oferecem o domínio incluso, mas, você pode registrar o seu domínio no site https://registro.br/, regulado pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto Br. Porém, se os serviços forem diferentes, é preciso entrar com o nameserver manualmente. Ao contratar um serviço de hospedagem, entre em contato com o prestador para tirar todas as suas dúvidas, ou faça um dos nossos cursos sobre estes assuntos.

2 – Instalando e configurando o WordPress

Uma vez que estes pré-requisitos forem resolvidos, é hora de instalar o WordPress no seu computador. Para isso, você irá descompactar os arquivos baixados no site https://br.wordpress.org/, dentro dos painéis de configuração do servidor. Existem ferramentas que podem ajudar a fazer a configuração da hospedagem de sites, como o CPanel. Existe um outro ponto importante, que é a natureza da página. O local da descompactação depende de se ela irá fazer parte do seu site, ou atuar de forma independente. No primeiro caso, ela precisa ser descompactada diretamente no servidor. Por outro lado, ela deve ser configurada em uma pasta dentro do servidor. Continuando o processo de instalação, é preciso criar e conectar o banco de dados ao servidor. O MySQL é o mais usado e a maioria das ferramentas já o inclui ou, pelo menos, trazem formas bem simples de configurá-lo. Uma vez que esses arquivos estejam prontos, é preciso conectá-los uns aos outros, para que eles possam se comunicar. Faça isso editando uma cópia do arquivo: wp-config-sample.php, que fica na pasta do WordPress. O WordPress pode ser usado para fazer essas alterações. Para garantir a comunicação do banco de dados com o servidor, é preciso fazer alterações em quatro linhas específicas:
  • ( ‘DB_NAME’, ‘nome_do_banco_de_dados’);
  • ( ‘DB_USER’, ‘nome_do_usuário’);
  • ( ‘DB_PASSWORD’, ‘senha_do_banco_de_dados’);
  • ( ‘DB_HOST’, ‘localhost’);
Com isso, a base do seu blog está criada e configurada, e é hora de começar a trabalhar na criação do site.

O que mais o WordPress pode fazer?

Com o processo descrito acima, o “esqueleto” do seu site está criado. Agora, é o momento de fazer uma configuração um pouco mais superficial, ou seja, a interface com a qual os usuários irão interagir. Para isso, existem os Templates do WordPress. Estes, são os temas, o modelo da interface e o design da sua página. Existem opções pagas e gratuitas, que variam tanto na funcionalidade como no aspecto profissional de sua aparência. Existem ótimos Templates gratuitos que podem ser encontrados na biblioteca do WordPress, mas para ter algo único e ainda mais profissional, as opções pagas são uma ótima alternativa. Outro aspecto fundamental do WordPress são os Plugins. Estes são extremamente importantes e incorporam uma enorme diversidade de funcionalidades extras ao seu site. Estes podem ser o compartilhamento de fotos das redes sociais, a criação de um formulário para contato e diversos outros. Existem duas formas básicas de configurar um novo plugin. O mais simples, fácil e direto, é usando o diretório de plugins do próprio WordPress. Para isso, o usuário precisa ir à opção de Plugins na aba de configuração e pesquisar pelo plugin desejado. Existem milhares de opções, que podem ser procuradas tanto pela função, como pelo nome. O WordPress retorna as opções, com uma classificação para ajudar o usuário a encontrar a melhor opção. Porém, a escolha é sua. O processo é bem simples, e a ferramenta faz praticamente tudo. O usuário precisa apenas confirmar se o plugin deve ser instalado e ativado. A outra opção para o uso do plugin é a instalação no diretório do WordPress. Essa opção é para alguém que busca ao mais específico, ou mais profissional. Os Plugins autorais, e pagos, costumam ser mais avançados, se forem baixados de um autor confiável. O WordPress tem uma opção de fazer upload do plugin, também pelo painel. Porém, ao invés de pesquisar o usuário irá enviar um plugin para o servidor, e o restante do processo é o mesmo que o anterior. Existe ainda uma terceira opção, de enviar o plugin via FTP, mas às duas opções acima devem ser o suficiente para cobrir qualquer situação. Os Plugins e os Templates são uma grande vantagem do WordPress. São inúmeros profissionais que trabalham para criar os seus próprios designs e funcionalidades, em um mercado que movimenta milhões a cada ano.

O Painel do WordPress

Por fim, é fundamental conhecer muito bem o painel do WordPress, afinal, tudo que irá ser feito vai passar por ele. Para acessá-lo, é preciso entrar no seu domínio com o sufixo “wp-admin”. Por exemplo, www.dominio.com.br/wp-admin. Então, entre com o usuário e senhas definidos no momento da configuração, e você tem acesso ao painel. Na tela inicial, é possível configurar quais opções serão mostradas e como serão mostrados. Eles podem ser movidos para trocar as posições no painel, e também podem ser removidos e adicionadas opções de acordo com a vontade do usuário. No padrão, são apresentadas as configurações mais comuns e mais importantes. Usadas normalmente pela maioria dos usuários. Elas são:
    • Posts: Permite a criação e a configuração de novos posts;
    • Mídia: Armazena e permite a configuração das bibliotecas de vídeos e fotos que irão ser usadas no blog;
    • Página: Faz o controle das páginas;
    • Comentários: Onde são visualizados e gerenciados os comentários de visitantes;
    • Aparência: Permite a troca dos temas e a configuração de diversas outras opções;
    • Plugins: Acesso à biblioteca de Plugins do WordPress e os passos para configuração descrita acima;
    • Usuários: Organiza os usuários e as permissões de cada um deles;
    • Ferramentas: Controla funcionalidades extras;
    • Configurações: Permite ajustes mais gerais.
O WordPress é uma ferramenta bem completa, com diversas opções para os seus usuários. Ele permite que você crie o seu blog, de maneira gratuita, com vastas opções de configuração e personalização. Uma grande vantagem desta plataforma é o apoio constante dos desenvolvedores. Por se tratar de uma plataforma de código aberto, os usuários são incentivados a compartilhar as suas soluções. Soma-se a isso a frequência com que os próprios criadores da plataforma têm buscado forma de melhorar o seu produto. E para complementar, existe o mercado secundário de Plugins e Templates que também é bastante saudável, com uma enorme variedade de opções de qualidade. Isso significa que o WordPress oferece todas as ferramentas para você pode criar e configurar o seu site para entregar exatamente o que você e sua empresa precisam. Para aprender tudo sobre essa plataforma, dominá-la, extrair o máximo de suas funcionalidades e garantir o melhor para a sua empresa confira a nossa plataforma de cursos, e experimente alguns de nossos cursos gratuitos.]]>

Fechar Menu