Blog WordPress: Guia passo a passo para criar um blog de sucesso

O blog é uma ferramenta primordial para as estratégias de Marketing. Essa é uma das principais formas que vai permitir que os clientes encontrem o seu conteúdo, e por consequência, a sua marca. Esse recurso é eficiente graças a ferramentas extremamente simples de usar, gratuitas e que, mesmo assim, são muito poderosas. O WordPress é um ótimo exemplo. Vamos ver então, um passo a passo para criar um blog de sucesso usando essa solução.

Antes de começar

Antes mesmo de começar é interessante discutir alguns pontos. Primeiramente, é importante saber a diferença entre o WordPress.com e o WordPress.org. Os nomes são parecidos, o objetivo final também, mas existem certas diferenças entre esses dois modelos. O “.org” é uma plataforma de publicação um pouco mais complexa. Ela permite que você faça configurações mais específicas.

Já o “.com” é uma página onde você pode instalar o seu blog com muito mais facilidade. É bem mais intuitiva e, provavelmente, é a maneira mais simples de criá-lo. Por outro lado, existem certas desvantagens como o domínio e a URL vierem acompanhado do “wordpress.com” e as possibilidades de configuração serem muito básicas.

Ambas as opções têm as suas vantagens. Uma é muito mais rápida e simples, porém, bem limitada. A outra, ainda é simples e fácil, porém, um pouco mais trabalhosa. Como o “.org” é mais trabalhoso, e um pouco mais recomendado para sites profissionais, vamos usá-los para o passo a passo.

Você pode fazer o download do WordPress, nesta página: https://br.wordpress.org/.

O passo a passo

Agora que você já escolheu a melhor opção, é o momento de seguir os passos para criar o seu blog. Esse processo é bem rápido e simples, e não deve levar mais do que alguns minutos.

1 – O Domínio

Escolher o domínio é um passo muito importante, afinal, ele é o nome do site, e deve ser algo bem simples de ser lembrado, e bem associado à sua marca. Além disso, é preciso se atentar aos sufixos. Os mais comuns como “.com” e “.com.br” sempre são uma opção, mas existe também a possibilidade de escolher algo mais específico, e de acordo com o ramo, como o “.adv.br”, para advogados. São inúmeras opções.

2 – A hospedagem WordPress

Após escolher o domínio é preciso decidir onde o site irá estar hospedado. A maioria dos serviços de domínio também oferece hospedagem WordPress, por um preço que costuma ser acompanhado de bons descontos. Caso os serviços sejam diferentes, é preciso inserir os name servers manualmente, no painel de controle do domínio. Você pode entrar em contato com o host para receber essa informação e evitar quaisquer dúvidas.

3 – Descompactando o WordPress

Agora é hora de começar a configurar mais especificamente o seu blog. Para isso, é preciso descompactar o conteúdo baixado dentro dos painéis de configuração do servidor. O cPanel, por exemplo, é um dos painéis mais conhecidos para ajudar a hospedagem de sites.

Para acessá-lo, o servidor normalmente indica o caminho. Normalmente, é no endereço: https://dominio.com.br/cpanel. Qualquer dúvida, você pode entrar em contato com o servidor para esclarecer.

Esses passos são bem simples e são menos complicados do que parecem. Porém, caso você tenha alguma dúvida, ou qualquer dificuldade, você pode conferir os cursos da Escola Ninja WP para dominar ainda mais assuntos como domínio e hospedagem WordPress.

Por fim, o último passo da descompactação é se o blog irá ser independente, ou um subdomínio do seu site. Se quiser o WordPress na raiz do domínio, os arquivos devem ser compactados diretamente no servidor. Por outro lado, caso queira uma área separada, os arquivos devem ficar em uma página dentro do servidor.

4 – Criando o banco de dados

Após descompactar os arquivos da maneira que mais desejar é hora de criar a base de dados. É lá que os arquivos irão estar hospedados. Mais uma vez, o cPanel tem uma ferramenta para fazer isto. Basta acessar a aba MySQL Database Wizard e seguir os passos para a configuração e para a criação do usuário.

Esse aspecto é versátil, e permite a criação de mais usuários para administrar o banco de dados, ou diversos blogs que irão compartilhar o mesmo.

5 – Editando o arquivo de configuração do WordPress

Com todos os aspectos acima criados e editados, é hora de garantir que eles irão comunicar entre si. Para isso, é preciso acessar o arquivo wp-config-sample.php, que fica na pasta do WordPress, no seu computador.

Para fazer a configuração você deve criar uma cópia deste arquivo, e renomeá-la para wp-config.php e abri-la com um editor de texto, como o WordPad. Então, você precisa preencher 4 espaços específicos com os dados do banco de dados que você acabou de criar. Os espaços são:

  • ( ‘DB_NAME’, ‘nome_do_banco_de_dados’);
  • ( ‘DB_USER’, ‘nome_do_usuário’):
  • ( ‘DB_PASSWORD’, ‘senha_do_banco_de_dados’);
  • ( ‘DB_HOST’, ‘localhost’);

É preciso tomar muito cuidado para não apagar os apóstrofos, pois isso pode gerar erros. Além disso, o último campo, especificamente, dificilmente precisa ser alterado. Pode deixar ‘localhost’, que irá funcionar. Se for necessário mudar, como sempre, entre em contato com o servidor.

Para finalizar o processo, mova este arquivo para a pasta raiz do WordPress no servidor.

Pronto! Agora o seu blog já está criado, e você pode começar a acessar para fazer as configurações.

O painel do WordPress

Ao acessar a página do seu blog, você irá precisar acessá-la. Assim, se a configuração deu certo, você irá ver uma página de bem-vindas, com o pedido de algumas informações, como o nome do site, o usuário e uma senha.

Com tudo funcionando você pode acessar o painel do WordPress. Essa ferramenta é tão usada por conta da facilidade e pelo fato de o painel ser bem intuitivo. Do lado esquerdo, você encontra todas as opções para começar a usar o seu blog e para criar os posts. Isto pode ser configurado mais tarde, para ser mais personalizado, mas o básico é:

  • Posts: Onde são criados e editados os posts;
  • Mídia: Organiza as bibliotecas de vídeos e fotos usadas no seu blog;
  • Página: Cria e edita as páginas;
  • Comentários: Espaço para gerenciar comentários de visitantes no blog;
  • Aparência: Permite a escolha e personalização de temas e outras opções;
  • Plugins: Acesso à biblioteca de plugins do WordPress;
  • Usuários: Organiza os usuários e as permissões de cada um deles;
  • Ferramentas: Controla certas funcionalidades extras;
  • Configurações: Permite ajustes mais gerais.

Agora que você já sabe como criar e configurar um blog no WordPress é hora de começar a trabalhar e colher os frutos dessa ferramenta bem poderosa. A Escola Ninja WP oferece diversos custos para você poder dominar ainda mais essa solução, e saber explorar todas as funcionalidades. Confira no site os nossos cursos, https://www.escolaninjawp.com.br/, e se cadastre para aprender ainda mais.

Fechar Menu